Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Você está aqui: Página Inicial Colegiados Equipe de Estudo e Educação Ambiental

Apresentação

          

Histórico da EEA

    Em dezembro de 1990 foi realizado na Universidade Estadual de Feira de Santana o I Seminário de Educação Ambiental, realizado no período de 3 a 6 de dezembro de 1990. Na plenária final foram aprovadas algumas recomendações, dentre elas a criação de uma equipe interdisciplinar de Educação Ambiental e a recomendação que a Universidade atuasse com um manejo adequado do seu lixo, uma vez que o mesmo era todo queimado.

A Equipe de Educação Ambiental da Universidade Estadual de Feira de Santana - Ba, (EEA/UEFS) surgiu no ano de 1991, sob a PORTARIA Nº 471/91 com o objetivo de implementar ações de Educação Ambiental na Universidade, estendendo-se à Região de Feira de Santana. É formada por professores, funcionários e estudantes de diferentes áreas de conhecimento, provenientes dos diversos cursos ofertados pela UEFS.


A partir de 1991, as professoras Maria de Fátima da Silva Nunesmaia, Maria de Fátima Hanaque Campos, Sandra Maria Furiam Dias e Nora Nei elaboraram o Projeto de Pesquisa e Extensão “Coleta Seletiva e Reaproveitamento do Lixo gerado no campus da UEFS”. Em outubro de 1992 o projeto foi implantado tendo como principais linhas de ação ou sub-projetos a Coleta Seletiva, a Caracterização dos Resíduos Sólidos, a Compostagem dos Resíduos Orgânicos e a Oficina Artesanal de Papel. A Educação Ambiental deveria permear todas as linhas de ação previstas.


Devido a demanda social e ao interesse da comunidade acadêmica da UEFS, novas linhas de ação foram iniciadas como pesquisa sobre Aterros Sanitário Piloto e Manejo do Lixo Plástico. Para isso outros professores somaram-se àqueles que iniciaram o programa, ampliando-se assim o seu raio de ação foram eles Maria do Socorro Costa São, Maria de Fátima Mendes Paixão e Marisa de Oliveira Almeida.

No final da década de 90 e início dos anos 2000, a dinâmica dos professores e estudantes foi se diferenciando (alguns se afastaram para pós-graduação e atuação em outras esferas ou instituições) e outros muitos foram aderindo ao cotidiano da EEA (Áurea Chateaubriand Campos, Luiz Antonio Ferraro Júnior, Luciano Mendes Souza Vaz, Zanna Maria Rodrigues de Matos, Ludmila Oliveira Holanda Cavalcante). Muitos trabalhos novos foram delineados, entre eles o processo de construção, formação e implantação do Conselho Gestor do Lago de Pedra do Cavalo, e a implantação da pós-graduação lato sensu via o Curso de Especialização em Educação Ambiental para Sustentabilidade (CEAS). Estas ações solidificaram a EEA enquanto contexto interdisciplinar, contando com a presença de professores e profissionais de diversas áreas de conhecimento como também um diálogo de abrangência com diferentes órgãos da sociedade civil organizada, do estado e academias. Assim, a EEA se consolida como uma instância que viabiliza qualitativamente a trilogia ensino, pesquisa e extensão dentro da universidade.

Após mais de 10 anos de atividade na UEFS, respaldada por um trabalho considerado referência, a EEA sentiu necessidade de repensar sua identidade. Para isso realizou-se em 2001, o planejamento estratégico que redefiniu as linhas e grupos de pesquisa inseridos nesta nova configuração da equipe.


Atualmente nos grupos de pesquisa do CNPQ, temos cadastradas três linhas de pesquisa que contemplam as demandas interdisciplinares da EEA, são elas: Gestão e Saneamento Ambiental, Desenvolvimento de Tecnologias Apropriadas, Capacitação e Organização Social. Tais linhas de pesquisa subsidiam a relação teoria/prática da EA por nós trabalhada.

 

 Veja Imagens do EEA.